Translate

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Litoral Norte Gaúcho


Capão da Canoa


Cidreira


Balneário Pinhal


Imbé


Osório


Torres


Tramandaí


Capivari do Sul


Arroio do Sal


Santo Antônio da Patrulha

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Cristo Redentor. Rio de Janeiro.RJ.2016


Não podia faltar. 

O Artista. Selaron. Escadaria Selaron. Rio de Janeiro.RJ.2016


O Artista
Jorge Selarón, pintor autodidata, nasceu no Chile em 1947.

Sempre aventureiro viajou para vários países. Durante um período, para se sustentar, foi professor de tênis.

No entanto nunca abandonou a pintura, tendo participado de inúmeras exposições na Europa, México, Nova York, Índia,  Panamá e outros lugares.

Sua obra pictórica é representada por milhares de quadros.  Uma de suas particularidades é retratar “mulheres negras grávidas”, (por um problema pessoal diz ele).

"Cheguei a este grande país no ano 1983. Antes conheci mais de 50 países. Em 1990 comecei minha obra prima, que pouco a pouco se tornou a escadaria mais original do mundo, tem 215 degraus e 125 metros de comprimento. A principio, todos riam de mim; coloquei azulejos verdes, azuis e amarelos - as cores da bandeira do Brasil. Comecei a mudar de profissão - de pintor para escultor - as mãos cheias de sangue, calos, coceiras e dor. Mas era apaixonante, tudo era difícil. Aluguel atrasado, telefone cortado. Cada vez que conseguia dinheiro, comprava materiais e seguia adiante, obcecado e enlouquecido.

Trabalhava sem cessar, só parava quando acabavam os materiais. Então, pintava quadros para ganhar dinheiro e dar continuidade a obra. Desde o ano de 1977 já pintei e desenhei mais de 25.000 mulheres grávidas, por um problema pessoal. Pintei mais de 300 azulejos e coloquei na obra de minha vida. Inventei uma técnica fantástica inédita, consiste em trocar constantemente os azulejos. Isto deu uma energia única, uma obra de arte viva e mutante, com mais de 2.000 azulejos diferentes, provenientes de mais de 60 países."

fonte:http://selaron.weebly.com/histoacuteria.html

Um Cristo No Cristo. Rio de Janeiro.RJ.2016



Aos do Cristo na parte que se vai pegar o Trem para subir ao Monumento, encontramos essa bela estatua nos recepcionando. 

Biscoito Globo: Patrimônio Carioca. Rio de Janeiro.RJ.2016


Instalação. Museu do Amanhã. Rio de Janeiro.RJ.2016


Bela Construção. Rio de Janeiro.RJ.2016


Igreja Nossa Senhora dos Remédios. Arraial do Cabo.RJ.2016


A singela igreja de Arraial.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Réplica de Caxias do Sul - 1885. Caxias do Sul.RS.2016












Réplica de Caxias do Sul - 1885

Em fevereiro de 1975, por ocasião do Centenário da Imigração italiana no Rio Grande do Sul, foram inaugurados os atuais Pavilhões da Festa Nacional da Uva. No local, três anos depois, foi construída a réplica de Caxias do Sul de 1885. Esta obra nos faz voltar no tempo para contemplar o nascimento desta cidade. Trata-se de um conjunto arquitetônico com 20 casas de madeira, incluindo a igreja e o coreto, reproduzindo a Avenida Júlio de Castilhos e a Rua Doutor Montaury daquela época. Em sua volta, pinheiros altivos bebem a brisa e brindam a trajetória gloriosa dos que fizeram e fazem o progresso desta terra.

À noite, a réplica serve de cenário para contar a Saga da Imigração Italiana, através da magia do espetáculo SOM & LUZ.


INFORMAÇÕES

R. Ludovico Cavinatto, 1431, B. Nossa Senhora da Saúde
Telefone/Fax: 54 3222.1875
E-mail: stur@caxias.rs.gov.br
Visitação: diariamente das 8h às 18h

fonte:https://www.caxias.rs.gov.br/turismo/texto.php?codigo=720

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Paróquia Nsa Sra de Lourdes. Flores da Cunha.RS.2016



Cidade encantadora, ótimo lugar para um passeio, ou simplesmente aproveitar uma tarde de sol na praça central.

O Morangão. Bom Príncipio.RS.2016


Pórtico em frente ao Parque Municipal

__________________________________________________________________

O primeiro nome de Bom Princípio teria sido Serraria, em 1814, época em que a atual área do município pertencia a Luiza Theodora Feijó. Bem antes da colonização alemã, quando tudo ainda era mata com trilhas percorridas por índios caingangues.

Em 1840 o imigrante João Guilherme Winter, que veio da cidade alemã de Klüsserath, comprou uma grande quantidade de terras junto ao Rio Caí e ao Arroio Forromeco. O local passou a ser chamado de Wintersohnschneiss (Picada de Winter Filho, em alemão). Quatro anos depois, o nome já havia sido reduzido para Winterschneiss (Picada do Winter). Nome que, apesar de não constar em nenhum documento oficial, ainda é lembrado e usado para designar Bom Princípio, principalmente pelos nativos de mais idade.

Já o nome Bom Princípio teria sido criado em 1853, pelo comerciante Philip Jacob Selbach, para que a localidade tivesse um nome em português.


Sobre Guilherme Winter
Nascido em 13 de março de 1806, em Klüsserath, Guilherme Winter chegou ao Brasil em 1829. Perdeu o pai, Philipp, na viagem de navio e foi se instalar com a mãe, Irmina, e irmãos em São José do Hortêncio. O fundador de Bom Princípio também lutou na Guerra dos Farrapos, primeiro do lado dos Imperiais e depois passou para o lado Farroupilha.

Ele só foi morar em suas novas terras em 1852, construindo sua casa junto de onde hoje é a Igreja Matriz Nossa Senhora da Purificação. Mesmo assim,foi o primeiro morador alemão do local. A colônia foi oficializada pelo Império em 1859 e seu proprietário teve que assumir uma série de compromissos perante o governo central.

Por exemplo, ninguém que morasse na colônia de Winter poderia praticar outra religião que não o catolicismo, seguindo as normas nacionais. Assim, se alguém dos colonos viesse a se tornar apóstolo de outra religião e procurasse converter os católicos, este alguém deveria ser expulso da colônia, ficando sujeito às leis do país como perturbador do sossego público.

Não eram admitidos nas escolas públicas os ensinos em outra língua sem que os alunos estivessem fluentes na língua portuguesa.

Sobre o catolicismo é interessante notar que, enquanto nas outras cidades é comum se ter uma igreja católica e outra luterana (pela chegada também de imigrantes de religião protestante ao Estado), Bom Princípio teve só templos católicos. Atualmente o município conta com centros de outras religiões evangélicas como Assembléia de Deus e Igreja Universal do Reino de Deus.

Já o idioma português foi difícil de pegar até o final do século XIX, tanto que até hoje existem idosos que não falam português. A vantagem é que atualmente boa parte da população é bilíngue, inclusive crianças.


Terra do Morango
Bom Princípio tem como seu símbolo o morango, ou "moranguinho".

A fruta é cultivada por cerca de 160 famílias, produzindo, em uma pequena área, mais de mil toneladas de morango por ano. Cada produtor planta em média meio hectare, sendo que o uso de técnicas como a plasticultura garante alta produtividade mesmo na entressafra. O morango é produzido durante oito meses do ano, entre maio e dezembro.

A cada 2 anos, no mês de setembro, a cidade realiza a "Festa Nacional do Moranguinho", atraindo visitantes das cidades próximas. Intercalando estes anos é realizada a Construmóvel, feira do setor cerâmico e moveleiro.

Na cidade, há ainda um morango gigante conhecido como "Morangão", para saudar os visitantes e conscientizá-los de que estão adentrando na "Terra do Morango".

fonte: Wikipedia.org

Jesus do 3º Milênio. Caxias do Sul.RS.2016



O imponente Cristo de 22 metros de Caxias. 

Praça Dante Alighieri. Caxias do Sul.RS.2016


Praça central de Caxias do Sul, num domingo de manhã. 

Parque da Estação. Carlos Barbosa.RS.2016


Lugar de encontro no final de tarde.

Lagoa da Harmonia. Teutônia.RS.2016


Bom passeio, belo lago, e ao fundos as casinhas para aluguel.

Parque Histórico Municipal. Lajeado.RS.2016


Lugar incrível, ainda pouco conhecido pelo grande público. Espaço amplo repleto de réplicas de casas enxaimel antigas.