Translate

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Monumento Nossa Senhora dos Navegantes. Dona Francisca.RS.2015


Monumento Nossa Senhora dos Navegantes
Localizado às margens do Rio Jacuí, no Parque Histórico Obaldino Benjamin Tessele, encontra-se o monumento à Nossa Senhora dos Navegantes.

Cruz Missioneira. Caibaté.RS.2015


 Em todas as reduções missioneiras ergue-se a cruz missioneira. A maior e original, porém, está na praça  ronteira do templo de São Miguel. De belas proporções arquitetônicas, perto do museu, um cruzeiro vistoso, digno das atenções de qualquer visitante ou turista, está lá o que chamam-na de a cruz de São Miguel. Mas essa cruz vem sendo chamada no Rio Grande do Sul simplesmente de "a cruz missioneira".

A diversidade de nome que se tem dado a essa cruz importa em especial estudo e um tanto de incertezas. Pois para além dos onomásticos "Cruz das Missões", ocorrem com mais freqüência os seguintes: "Cruz de Lorena", "Cruz de Borgonha”. Houve quem dissesse simplesmente tratar-se de uma réplica da "Cruz de Caravaca", sendo Caravaca umacidade na província de Múrcia, na Espanha.

Embora os estudos indiquem a origem da Cruz Missioneira como a Cruz de Caravaca, ela já incorporou ao imaginário do povo rio-grandense como o símbolo máximo da espiritualidade da região das Missões. O seu significado segue sendo o de proteção e é ofertada, em forma de relíquia peitoral, ou pedestal, àquelas pessoas que se querem bem. Os dois braços, que representam a distinção arquiepiscopal ou patriarcal, para diferir da cruz de apenas um braço, são interpretados pela compreensão popular como uma representação da fé redobrada. (HC) 


fonte:http://www.verdestrigos.org/missoes/cruz.asp

Passeio pelas Guaritas. Caçapava do Sul.RS.2014


Visita a Caçapava do Sul, Guaritas e Minas do Camaquã (sem Minas). Out.2014


Nada melhor para fugir do tédio, que desbravar novos lugares. E a tempos as Guaritas e Minas do Camaquã estavam aguçando minha curiosidade. E tão perto de casa, sendo que Caçapava fica a 90km de Santa Maria, onde moro, chegava a ser uma vergonha não conhecer Caçapava e seus encantos. Saímos de Santa Maria por volta das 10 horas, e antes do meio dia chegamos a Caçapava. A primeira coisa que nos chamou atenção foi a imensa e linda igreja matriz bem no centro da cidade, bem perto existe a casa de Borges de Medeiros (foi um político brasileiro, tendo sido presidente do estado do Rio Grande do Sul por 25 anos, durante a República Velha). Bom e aí a fome apertou e que fazer? Perguntar ao primeiro transeunte onde podíamos comer. E qual foi nossa surpresa ao perguntarmos para uma senhorinha que vinha passando, qual lugar mais perto para comermos. E ela além de nos indicar, como era longe se prontificou a nos acompanhar por 10 quadras até o excelente restaurante Don Pedro. É existem pessoas gentis ainda nesse mundo. Quando em uma cidade grande alguém faria isso? Só se fosse para nos assaltar. Bem alimentados, rumamos ao forte Dom Pedro II, grandes muros de pedra, dos idos tempos das guerras farroupilhas. E não é atoa a cidade de Caçapava ser conhecida como 2ª Capital farroupilha, onde se passaram diversas guerras, e conflitos dos tempos da revolução gauchesca. Deixando o forte, paramos no primeiro posto e nos indicaram o rumo das Minas do Camaquã, saindo de Caçapava seguimos 13 km pela BR-392, depois mais 52 km pela BR-153, e finalmente 25 pela estrada de terra ERS 625 .Estes últimos 25 km, pelo caminho podemos avistar as incríveis Guaritas, pedras gigantes corroídas pelo tempo, em forma diversas, de torres de igrejas dentre outras tantas que imaginação permitir. Também fomos brindados pela visão de lindos cabritinhos no alto das pedras. Fiquei fascinado, e queria muito ter chegado mais perto das pedras, mas ao perguntar aos nativos, ninguém soube me dizer como fazê-lo, se existia uma trilha. Apenas me disseram que os donos das propriedades não gostavam que turistas entrassem nas propriedades e que o local era perigoso. Bom se é perigoso deixemo. Até porque minha amada, já estava apavorada, que eu caísse dos penhascos, isso sem nem ter cruzado a cerca que dava acesso aos locais. Viagem que segue, e chegamos nas Minas, mas para nossa profunda tristeza, como era dia de votação, não haviam guias, e estava tudo fechado, o jeito, foi deixar esse passeio para uma próxima vez. Mas mesmo assim visitamos a linda vilinha, e como não poderia deixar de ser, conseguimos apreciar o interessantíssimo Cine Rodeio, e o antigo maquinário das Minas, largado a ação do tempo, no jardim, além de outros locais da vila. Ficamos deslumbrados com a visão ao fundo da Pedra da Cruz, e outras tantas pedras imensas que rodeiam o local. Tem ainda a prainha, que também deixamos para uma próxima. Mas mesmo assim a viagem foi ótima, um merecido alimento para a alma, que só quem já visitou o lugar conhece, pois o mesmo tem um astral ótimo, e nos brinda a todo momento com lindas paisagens e visões. 

fonte:http://impressoesdeumexbeduino.blogspot.com.br/2014/11/visita-cacapava-do-sul-guaritas-e-minas.html

Isso é uma À la Minuta. Santa Maria.RS.2015


Lhes apresento um dos pratos mais típicos do Rio Grande, a À la minuta.

Bife, batata frita, salada, arroz e feijão.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Passeio de Sábado.Mata.RS.2015






 





Entre São José do Loro e Vila Clara

A grande inundação de 08.10.Mata.RS.2015


O desvio da RS 287, entre São Vicente do Sul e Mata, coberto pela água. 



 A Rua central às 6 horas da manhã 





Centro da cidade de Mata, inundado. 
___________________________________

Em Mata, o centro da cidade ficou debaixo d’água. Para andar nas ruas, só de trator. O prédio da prefeitura municipal está inundada. Cerca de 120 pessoas foram afetadas.

fonte:http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/10/chuva-eleva-nivel-de-rios-alaga-vias-e-tira-familias-de-casa-no-rs.html

Nova aquisição.Mata.RS.2015






Filho, Mimo ou Bugiu, deitado na cama.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

A Estação Camobi. Santa Maria.RS.2015


A ESTAÇÃO: A estação de Colônia foi inaugurada em 1885 pela E. F. Porto Alegre-Uruguaiana. Próximo a esta estação está localizado o aeroporto de Santa Maria. Em 19 de julho de 1945 passou a se denominar Camobi. Os trens de passageiros deixaram de passar na linha e pela estação em 02/02/1996. 
(Fontes: Claiton Neisse; Daniel Taschetto; Gazeta Mercantil, 1996; Ariosto Borges Fortes: VFRGS, suas estações e paradas, 1962; Guia Geral das Estradas 

fonte:http://www.estacoesferroviarias.com.br/rs_uruguaiana/camobi.htm

Pelas ruas. Caibaté.RS.2015




As Margens do Toropi. Mata.RS.2014


Toropi é um nome de origem tupi-guarani, que significa "caminho do tatu", devido talvez ao rio Toropi, que possui um leito sinuoso com curvas e correntezas, como o tatu faz para fugir do perigo.

fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Toropi

Igreja Santo Antonio. Cachoeira do Sul.RS.2015


 Com estilo barroco bávaro, este templo é fruto do perseverante esforço dos Padres Redentoristas.
Em 6 de agosto de 1933 houve a benção solene da primeira pedra do majestoso templo de Santo Antônio, por Dom Antônio Reis, em comemoração ao bicentenário da Ordem.

           A Igreja possui 53 metros de comprimento, 20 m. de largura, e 24 m. de altura.
           As torres têm 54 m. de altura e os grandes sinos pesam um total de 4 mil quilos.

           No dia 14 de junho de 1935, foi inaugurada a Capela Mor e o 1º vitral (Santo Antônio pregando aos peixes), oferecido ao Padre Jubilar, Tiago Klinger, reitor dos Padres Redentoristas em Cachoeira do Sul. Em outubro de 1937, nas Festas de Cristo Rei, houve a benção solene de inauguração da Igreja de Santo Antônio.


fonte:http://daianeeducampo.blogspot.com.br/p/cachoeira-do-sul_19.html

Via Sacra.Vale Veneto.RS.2015


 Via Sacra – A Via sacra do morro, é um dos mais belos e religioso ponto turístico de Vale Vêneto. Os moradores do vale contam que essa foi uma das primeiras obras dos imigrantes italianos. Lá é possível ver todo o Vale e com uma vista privilegiada.

fonte:http://www.valeveneto.net/Noticias/O-Turismo-esta-em-Vale-Veneto/20

Casarao Tonazzi. Nova Palma.RS.2015


Histórico
Nova Palma é um município de pequeno porte situado na Região Central do Estado do Rio Grande do Sul, na chamada Quarta Colônia de Imigração Italiana. Quando ainda Distrito, teve o nome de Barracão e de Soturno. Emancipado de Júlio de Castilhos, em 29 de julho de 1960, recebeu a atual denominação devido ao grande número de palmas existentes no perímetro urbano. Desde sua fundação, a religiosidade ligada à Igreja Católica sempre foi fator marcante e uma característica que se reafirma até hoje. Um dos grandes nomes da emancipação e do desenvolvimento de Nova Palma é o do Padre Luiz Sponchiado, falecido em 16/03/2010 e homenageado em julho do mesmo ano, por ocasião do centenário do Município, com uma estátua em tamanho real localizada na Praça Pe. João Zanella. Além da religiosidade marcante, Nova Palma possui cultura muito rica e diversa, tendo representadas em seu território expressões italianas, alemãs, negras, portuguesas, além dos costumes gauchescos. A economia é baseada na agropecuária, nas indústrias de pequeno porte e na presença importante da CAMNPAL (Cooperativa Agrícola Mista Nova Palma Ltda). Os atrativos culturais e naturais atraem muitas pessoas para Nova Palma, especialmente o Balneário Municipal, que é um dos pontos mais visitados pelos veranistas da região.

(FONTE: Livro “Nova Palma Berço e Maturidade”, de Maury Antonio Langone – 2013)

fonte:http://www.novapalma.rs.gov.br/o-municipio/historico

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Uma praça. Cachoeira do Sul.RS.2015


A cidade

CACHOEIRA DO SUL, quinto município criado no Rio Grande do Sul, um dos quatorze municípios farroupilhas, é berço de homens ilustres da história, como Ramiro Barcelos, João Neves da Fontoura, Aurélio Porto, Liberato Salzano Vieira da Cunha, Nero Moura, Cabo Toco e Aparício Borges.

Localizada no centro do Rio Grande do Sul, à margem esquerda do rio Jacuí, Cachoeira do Sul dista 196 km de Porto Alegre, capital do Estado. Com terras férteis e a presença do rio, a principal atividade econômica é a agricultura e a pecuária.

A população cachoeirense (cerca de 87.000 habitantes) é uma mescla de várias etnias. A partir de 1750, esta região foi ocupada por soldados portugueses vindos de São Paulo e que receberam sesmarias do governo de Portugal. A seguir, chegaram açorianos, enviados para o Brasil devido à explosão demográfica e à escassez de terras aráveis no Arquipélago dos Açores.

Em 1769, índios guaranis catequizados foram aldeados no local até hoje chamado Aldeia. Estes índios vieram com o objetivo de fornecer mão-de-obra para a nova povoação que surgia. É desta época o primeiro nome oficial: Capela de São Nicolau. Durante este tempo e ainda depois, chegavam negros escravos, pois a escravidão sustentava o modo de produção na época.

Em 10 de julho de 1779, a povoação foi elevada à freguesia com o nome de Freguesia de São Nicolau da Cachoeira de San José (Bispado do Rio de Janeiro, Comarca de Nossa Senhora do Rosário de Rio Pardo) e dois anos depois passou à invocação de Nossa Senhora da Conceição.

A imigração alemã ocorreu a partir de 1857; a imigração italiana, próximo a 1880. Além destes dois povos – alemães e italianos – vários outros chegaram ao município. Árabes, no primeiro quartel deste século, japoneses, em meados da década de 1950, judeus, que deixaram a cidade nos 1960, e os palestinos nos nossos dias.

A título de esclarecimento, informamos que o nome de Cachoeira surgiu no século XVIII e deve-se à Cachoeira do Fandango, uma das corredeiras que existiam no rio Jacuí.

O Alvará de D. João VI, datado de 26 de abril de 1819, emancipou a então Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Vila de Rio Pardo. A instalação do município e eleição dos primeiros vereadores ocorreu em 5 de agosto de 1820, com a adoção do nome de Vila Nova de São João da Cachoeira, sendo esta a data escolhida para comemoração do seu aniversário.

Em 15 de dezembro de 1859 o município foi elevado à categoria de Cidade, recebendo o nome de Cachoeira.

Em 1944 foi adotada a denominação definitiva de Cachoeira do Sul.

A Semana de Cachoeira ocorre, anualmente, entre 8 de dezembro, dia da padroeira Nossa Senhora da Conceição, e 15 de dezembro, data da elevação à cidade.

fonte:http://cachoeiradosul.rs.gov.br/a-cidade/

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Uma imagem. Parque Witeck.Novo Cabrais.RS.2015


A história do parque

Uma área de 100ha foi adquirida em 1962 pelo médico ambientalista Acido Witeck. Tratava-se de uma terra degradada pela criação intensiva de gado, queimadas sucessivas e desmatamento das reservas nativas da região. O terreno apresentava relevo acidentado, erodido e sem nenhuma perspectiva de recuperação. Em 1966, num espaço de 10ha, foram plantadas as primeiras árvores em um bosque próximo ao que, na época, era a sede da fazenda, bem como criou-se o primeiro reservatório de água que deu origem ao que hoje constitui o Lago Encantado.

Em 1967 iniciou-se o tratamento paisagístico em frente à antiga sede da propriedade e em 1976 plantaram-se as primeiras coníferas oriundas da Ásia, Europa, Oceania e América do Norte. Em 1977 destinaram-se mais 20ha ao que viria a ser o Parque Witeck e foram constituídas as primeiras ilhas temáticas, de acordo com as características das plantas (nativas, caducas, coníferas, palmeiras). Em 1991 a área do Parque passou a 70 ha, que é a área atual. Nesta época foi construída uma estufa para abrigar as palmeiras mais sensíveis às baixas temperaturas. Essa estufa não mais existe por conta do processo adaptativo das referidas palmeiras. A morfologia do terreno, a flora, a fauna, os recursos hídricos e a ação antrópica são elementos que constituem a atual paisagem que caracteriza o Parque. Hoje o número de espécies botânicas existentes na área é de cerca de 2100 espécies, entre árvores, arbustos e forrações, tanto nativas quanto exóticas. Um viveiro de produção de mudas permite a reposição das espécies dentro do Parque e a comercialização de algumas delas.

A partir de 2007 começou-se a dar atenção especial à presença de animais, estando em andamento a identificação de pássaros e aranhas que habitam o Parque. O conhecimento da área faz-se através de trilhas demarcadas ao longo dos caminhos que são interligados aos diversos recantos: da Paz, Europeu, das Caducas e aos lagos: Encantado, Mágico, da Paz e Grande Espelho do Céu. Os lagos Negro e Selvagem não costumam ser abertos ao público por motivo de tratar-se de áreas de preservação.

fonte:http://parquewiteck.com.br/index.php/a-historia-do-parque/

“O Nono e a Nona”. Vale Veneto.RS.2015


“O Nono e a Nona”, em homenagem à comunidade pelo exemplo, dedicação e contribuição cultural, agregando valores em prol do desenvolvimento do município de São João do Polêsine. O “Nono e a Nona” representam os pioneiros da colonização italiana marcando as comemorações dos 130 anos de vinda dos primeiros imigrantes italianos na Quarta Colônia.

fonte:http://www.valeveneto.net/Noticias/Inaugurado-o-monumento-em-homenagem-a-comunidade-de-Vale-Veneto/29

Uma Igreja. Faxinal do Soturno.RS.2015


O território do atual município de Faxinal do Soturno fez parte da Vila de Rio Pardo, um dos quatro primeiros municípios da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, desde sua criação em 1809 até 1819, quando a antiga freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Cachoeira é elevada à condição de vila, a quem seu território passa pertencer.

O local onde hoje encontra-se a sede do município de Faxinal do Soturno teve o povoamento iniciado no ano de 1884 com imigrantes italianos provenientes da Colônia Silveira Martins, a Quarta Colônia de Imigração Italiana. Sua emancipação política ocorreu em 1959, quando Faxinal do Soturno é elevado à categoria de cidade, município independente de Cachoeira do Sul. É destacável o fato de a sede nunca ter sido vila, tendo sido elevado à categoria de cidade com a emancipação do município.

Tanto para as antigas denominações quanto para o nome atual não existem documentos que determinem sua origem. Sobre o nome Faxinal do Soturno sabe-se que foi motivado pelos pantanais ribeirinhos que, nos primeiros tempos, se apresentavam cobertos de mato cerrado e escuro, lugar soturno e perigoso, principalmente no inverno. O nome foi aplicado por uma equipe da carta geográfica que percorreu o rio Jacuí estudando as possibilidades de navegação. Junto ao rio Soturno havia grandes extensões de faxinal, campo coberto de mato curto. Então se uniram os dois nomes formando Faxinal do Soturno.

fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Faxinal_do_Soturno

Pelas ruas de Buenos Aires. Buenos Aires.AR.2013


Iván Álvarez Noble (n. Morón, Buenos Aires, 5 de marzo de 1968) es cantante, músico y actor argentino. Fue líder de la banda de rock barrial, Caballeros de la quema, entre 1989 hasta 2001. Tras su separación en 2002, Noble comienza su carrera solista.1

fonte:https://es.wikipedia.org/wiki/Iv%C3%A1n_Noble

Menina Capoeirista. Porto Seguro.BA.2013


Show de capoeira no centro histórico de Porto Seguro. Vale a pena ver!

Uma passada pela praia do Cassino. Rio Grande.RS.2011


Com população fixa de aproximadamente 30 mil habitantes,
o balneário possui uma ótima estrutura capaz de sustentar sua população e os veranistas.


Na alta temporada, a população
chega a mais de 150 mil turistas,
vindos do Rio Grande do Sul
e de países vizinhos como
Argentina e Uruguai.

A praia do Cassino possui aproximadamente 224km de
areia branca e fina, sendo
considerada a maior praia
contínua da América do Sul.
A orla da praia se estende até a
cidade do Chuí, na fronteira com o
Uruguai.

Você sabia?
”O Cassino era chamado inicialmente de Vila Siqueira.
Contam os mais velhos que devido a uma grande e completa
sala de jogos localizada no salão de um antigo hotel, o Balneário
ficou famoso e mudou de nome. Legal né?!”

fonte:http://www.praiadocassino.com/sobre-o-cassino


Aves. São Braz. Santa Maria.RS.2010


Criadouro abriga e recupera mais de 600 animais em Santa Maria
São 172 espécies, nativas e exóticas, 15 delas ameaçadas de extinção.
Local abriga desde pequenas aves até mamíferos grandes, como ursos.

O Criadouro Conservacionista São Braz, em Santa Maria, abriga e recupera mais de 600 animais na cidade da Região Central do Rio Grande do Sul. Com natureza por todos os lados, no local podem ser encontrados desde pequenas aves até mamíferos grandes, como ursos, como mostra a reportagem do Nossa Terra no Jornal do Almoço, da RBS TV (veja o vídeo abaixo). São 172 espécies, nativas e exóticas, 15 delas ameaçadas de extinção, como arara azul, gato do mato mourisco e jaguatirica.
 Ameaçados de extinção, os flamingos também encontraram um novo lar. Eles foram maltratados pelo homem e tiveram as asas cortadas. “Nós não temos orgulho de ter esses animais aqui. O lugar ideal seria na natureza de onde não deveriam ter saído”, diz Santos Braz, proprietário do criadouro. A história dos moradores do criadouro quase sempre tem um começo triste. Alguns foram maltratados, atropelados e abandonados.
Um dos órfãos é o bugio Catu, que está no criadouro há uma semana. Ele foi encontrado perto do corpo da mãe, morta em um balneário de Jaguari, também na Região Central do estado. Agora o animal recebe cuidados especiais, dorme em uma caixa aquecida e também ganha mamadeira.
Não são apenas os filhotes que têm mordomias. Os macacos e bugios adultos recebem legumes cozidos. Já os felinos consomem duas toneladas de carne por mês. Para atender a toda a bicharada, três funcionários e dezenas de voluntários trabalham no local, que é mantido principalmente com doações.
“Temos apoio da prefeitura que, através da Vigilância Sanitária, doa carne apreendida. Há também ajuda dos padrinhos. O objetivo é recuperar todos os animais que foram vítimas nas mãos do homem, recuperando-os para que tenham regresso à natureza. Aqueles que não podem voltar ficarão no criadouro para fins de educação ambiental”, explica Braz.
A maioria dos animais de grande porte tem uma história parecida. Muitos deles viviam no circo sendo explorados em atividades que hoje são proibidas por lei. É o caso de um casal de tigres de bengala que agora vivem bem mais à vontade do que quando ficavam presos em jaulas.
“Muitos vieram em jaulas de dois metros quadrados. Hoje eles têm um espaço melhor, que não é digno, já que digno seria na natureza no seu país de origem, mas pelo menos queremos dar a eles o melhor até o fim da vida”.

fonte:http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/nossa-terra/2013/noticia/2013/08/criadouro-abriga-e-recupera-mais-de-600-animais-em-santa-maria.html

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Iberê Camargo. Restinga Seca.RS.2015


Artista de rigor e sensibilidade únicos, Iberê Camargo é um dos grandes nomes da arte brasileira do século 20. Autor de uma obra extensa, que inclui pinturas, desenhos, guaches e gravuras, Iberê Camargo nasceu em Restinga Seca, interior do Rio Grande do Sul, Brasil, em 1914.
Em 1927, iniciou seu aprendizado em pintura na Escola de Artes e Ofícios de Santa Maria. Em 1936, mudou- se para Porto Alegre, onde conheceu Maria Coussirat Camargo. E foi com tela e tintas dela, então estudante do Instituto de Belas Artes, que Iberê pintou seu primeiro quadro, às margens do Riacho, na Cidade Baixa – assim começou o namoro do casal e assim “começou o pintor”. Em 1939, Iberê e Maria se casaram. Em 1942, ano de sua primeira exposição, o artista e sua esposa mudaram-se para o Rio de Janeiro, onde viveram por 40 anos.
Admirador e amigo de artistas brasileiros como Goeldi e Guignard, em 1948 viajou para a Europa (através de um Prêmio de Viagem ao Estrangeiro, conquistado com sua obra Lapa, de 1947) em busca de aprimoramento técnico. Durante sua estada, visitou museus, realizou cópias dos grandes mestres da pintura e estudou gravura e pintura com Giorgio De Chirico, Carlo Alberto Petrucci, Leoni Augusto Rosa, Antonio Achille e André Lhote.
De volta ao Brasil, em 1950, Iberê conquistou inúmeros prêmios e participou de diversas exposições internacionais, tais como Bienal de São Paulo, Bienal de Arte Hispano-Americana em Madri, Bienal de Veneza, Bienal de Gravuras em Tóquio, entre outras exposições importantes. Foi no final dos anos 1950 que, devido a uma hérnia de disco que o obrigou a pintar no interior de seu ateliê, o artista desenvolveu um dos temas mais recorrentes em sua pintura: os Carretéis. São estes brinquedos de sua infância que o levaram, mais tarde, à abstração, e que estiveram presentes em sua obra até a fase final.
Na década de 1980, retomou a figuração. Mas, ao longo de toda sua produção, nunca se filiou a correntes ou movimentos. Em 1982, retornou a Porto Alegre, onde produziu duas de suas séries mais conhecidas: as Idiotas e os Ciclistas.
Iberê Camargo faleceu em agosto de 1994, aos 79 anos, deixando um grande acervo de mais de 7 mil obras, entre desenhos, gravuras e pinturas. Grande parte desta produção foi deixada a Maria, sua esposa e companheira inseparável, cuja coleção 

fonte: http://www.iberecamargo.org.br/site/o-artista/ibere-camargo.aspx

Castelo Simões Lopes. Pelotas.RS.2011


Localizada na Av. Brasil, na entrada da cidade via Rio Grande, o “Castelo Simões Lopes” foi construído em 1922 pelo Dr. Augusto Simões Lopes, que foi intendente, prefeito municipal, deputado e vice-presidente do Senado Federal, tio do ilustre escritor. Pelo prédio passaram dois presidentes da República, Washington Luís e Getúlio Vargas. Abrigou entidades culturais, tais como: IHGPel – Instituto Histórico e Geográfico de Pelotas, Academia Sul-Brasileira de Letras, Centro Literário Pelotense, 26a. Região do Movimento Tradicionalista Gaúcho e Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra. Em 2000 passou às mãos da Secretaria da Saúde para sediar o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) do bairro Simões Lopes. Hoje, 2012 o Castelo esta sobre a responsabilidade da Guarda Minicipal mas infelizmente esta em um mau estado de conservação.

fonte:http://www.360cidades.com.br/place/castelo-joao-simoes-lopes-neto-pelotas-rs/

Igreja Nsa Senhora da Glória. Camobi. Santa Maria.RS.2015


A HISTÓRIA DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA GLÓRIA DE CAMOBI TEM INÍCIO A PARTIR DO ANO 1890, MAIS OU MENOS.
GRAÇAS À RELIGIOSIDADE DO SR.JOSÉ FARIAS DE LIMA, UM GRUPO DE MORADORES, PRÓXIMO AO LOCAL ONDE HOJE SE ENCONTRA A IGREJA MATRIZ, CONSTRUIU UMA PEQUENA CAPELA PARA ABRIGAR A IMAGEM DE UM ANJO, POR ELE DOADA. ESTE ANJO, NA VERDADE, SE TRATAVA DE UMA IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO. DAÍ SE DEU O FATO DE QUE A IMAGEM, ATÉ HOJE HOMENAGEADA, SE TRATA DE UM ÍCONE DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO, VENERADA COM O TÍTULO DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA ASSUNTA AO CÉU.
ESTA CAPELINHA INICIAL DUROU POUCO TEMPO, DANDO LUGAR À NOVA IGREJA QUE RESISTIU POR MAIS DE 50 ANOS, RECEBENDO A PRIMEIRA REFORMA PARA O MODELO ATUAL EM 20/08/2006, CUJO PROJETO ARQUITETÔNICO E SUA EXECUÇÃO ESTIVERAM A CARGO DO ARQUITETO ALEXANDRE MENEGUETTI E A ARTE SACRA, A CARGO DA ARTISTA PLÁSTICA TECLA EICHELBERGER HOPPE E IRMÃ MARIA SENIRA BISCARO.
A DATA DE IMPLANTAÇÃO DA CASA PAROQUIAL CONSTA DE 1965, DATA EM QUE A ANTIGA CAPELA PASSA À DENOMINAÇÃO DE PARÓQUIA, TENDO COMO PRIMEIRO PÁROCO, ARMANDO BRÉDICE, DA CONGREGAÇÃO DOS SERVOS CARIDADE.
O ANTIGO SALÃO PAROQUIAL AOS FUNDOS DA IGREJA FOI INAUGURADO EM 1959 E O NOVO SALÃO TEVE SUA CONSTRUÇÃO EM 1999.
DESDE A SUA FUNDAÇÃO EM 19 DE ABRIL DE 1965 A PARÓQUIA DE CAMOBI FESTEJA  A CADA ANO NO 3º DOMINGO DE AGOSTO, A SUA PADROEIRA, NOSSA SENHORA DA GLÓRIA COM SOLENE CELEBRAÇÃO E FESTA COMUNITÁRIA.

fonte:http://www.paroquiadecamobi-sm.net/nossa-historia

GramadoZoo. Gramado.RS.2010


Gramadozoo é o melhor da América da Sul
Zoo de Gramado é o único brasileiro entre os 25 melhores do mundo

O Gramadozoo foi o grande vencedor da América do Sul do prêmio Travelers’ Choice 2015 Zoológicos e Aquários. Com animais exclusivamente da fauna brasileira, o Zoo de Gramado foi eleito o melhor pelos usuários do TripAdvisor, o maior site de viagens do mundo, pelo segundo ano consecutivo. Além de ficar em primeiro lugar na América do Sul, o Gramadozoo é o único do Brasil e do continente entre os 25 melhores zoológicos do mundo.
Sem nenhum tipo de aporte financeiro público, o Gramadozoo tem o bem-estar animal como um dos principais pilares de atuação. Para a direção do zoo, o reconhecimento do público coroa o trabalho e o compromisso de uma equipe pela valorização dos aninais da fauna brasileira. “Compartilhamos com a equipe e com os clientes a valorização da fauna brasileira e a conquista de estarmos novamente entre os melhores do mundo”, agradecem Evelise Silveira e Marcos Gomes, diretores do Gramadozoo.
ORGULHO GAÚCHO
Fundado em setembro de 2008, o GramadoZoo traz um novo conceito para o segmento de zoológicos. Bem-estar animal, pesquisa, educação e conservação ambiental são os pilares que norteiam as atividades do empreendimento. No lugar das grades e jaulas, vidros blindados e enormes viveiros de imersão reproduzem com fidelidade o habitat das espécies. Com alta preocupação ambiental, o Gramadozoo inova ao apresentar animais exclusivamente da fauna brasileira, que possui a maior biodiversidade do planeta. O parque fica no Km 35 da ERS-115 e funciona diariamente das 9h às 17h.
Confira: http://www.tripadvisor.com/TravelersChoice-Attractions-cZoos-g13#1

fonte:http://www.gramadozoo.com.br/

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Flores da Praça.Nova Palma.RS.2015


Praça Pe. João Zanella
Atrativo natural, a praça Pe. João Zanella está localizada na Rua Raimundo Aléssio, em frente à Igreja Matriz Santíssima Trindade, ocupando uma quadra de 10 mil metros quadrados. Possui excelente arborização de espécies nativas e exóticas, além de excelente iluminação, totalmente remodelada no ano de 1997. Calçada com pedras de basalto no seu interior, possui na área uma quadra de esportes, pracinha de brinquedos, bancos, mesas para carteado, sanitários, um quiosque com lancheria e restaurante, monumentos ao Pe João Zanella, ex-pároco, aos expedicionários e do centenário da colonização italiana (1887 – 1987), o gazebo Raimundo Aléssio, estando também em construção uma academia ao ar livre.

fonte:http://www.novapalma.rs.gov.br/turismo/pontos-turisticos-e-patrimonio-historico-cultural

Filé a Parmeggiana. Santa Maria.RS.2014


O melhor filé a Parmeggiana do mundo, feito por minha tia Flávia Santana, em meados de outubro de 2014.

O nome desse prato se deve, provavelmente, ao queijo utilizado em sua preparação. Apesar desse nome e da introdução acima, o "biffe alla parmaegiana" não existe em Parma. Ele é, na verdade, resultado da influência italiana sobre a culinária paulista - isto é, é um prato brasileiro. Sobre isso o sociólogo Carlos Alberto Dória, da Unicamp, faz uma crítica, em seu livro "A Formação da Culinária Brasileira":

O bife alla parmegiana não é reconhecido como 'coisa nossa' porque não se encaixa na matriz de convergência étnica, em que o branco é representado apenas pelos portugueses".[1]

Esta mistificação ou estereotipo próprio da população brasileira ignora o fato de que, em muitas regiões do país, como no estado de São Paulo, a influência de outras populações europeias supera em muito aquela deixada pelos portugueses.

Apesar de ser chamado bife à parmegiana, alguns ainda no interior do Brasil o chamam de bife ensopado com queijo ralado, pois recebe uma certa quantidade de molho de tomate, dando a impressão de ser ensopado.

fonte: wikipedia

Cerca de pedra divisa Caibaté e Mato Queimado.RS.Caibaté.RS.2015


Cerca de Pedra construída pela família Ten Caten, na propriedade de Auri dos Santos e Margarida Ten Caten dos Santos, divisa entre os municípios de Caibaté e Mato Queimado.RS.

Bombachinha.Mata.RS.2014



Ice Bar. Puerto Iguazu.Ar.2013


bar de gelo na Argentina. O Icebar fica em Puerto Iguazu, cidade argentina que faz fronteira com o Brasil.
fonte: http://finestrino.com.br/bar-de-gelo-na-argentina/

http://icebariguazu.com/es/

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

A Bahia é linda ou não é? Trancoso.BA.2013


O guia a horas dizia que poderíamos ver a casa da Elba Ramalho, próximo ao Quadrado de Trancoso. E foi isso que conseguimos ver, o telhado, que segundo ele, seria da casa de Elba. Mas que que eu queria saber de casa de Elbas, diante desse mar lindo.

Cenário. Garopaba.SC.2011


Garopaba sim, foi mais nosso gosto, praia mais família, com um centro comercial bem melhor, muitas lojas, restaurantes, com infraestrutura de cidade mesmo, o Rosa é praia para que gosta mais de acampamento e aventura. Garopaba sim é apaixonante, ou talvez o dia que fomos foi um dia melhor para pegar praia, a água estava limpíssima, de um azul bem nítido. A encosta da praia é repleta de pedras também, que formam pequenas banheiras, onde da para se estirar na pedra para curtir o calor do sol, ou dentro da água e ficar lá deitado, com o corpo submerso, sentindo a brisa do mar no rosto. Ainda deu para comer um linguado com molho de camarão, show de bola.

fonte:http://impressoesdeumexbeduino.blogspot.com.br/2013/05/ferias-no-rosa-garopaba-e-ferrugem-sc.html

As Corujas de Capão da Canoa.RS.2010


No Réveillon de 2007, uma família de corujas ficou famosa. Os veranistas de Capão da Canoa manifestaram-se  indignados solicitando ao 1º Batalhao Ambiental da Brigada Militar o cancelamento do show de fogos que seria realizado perto do ninho dessas aves. A prefeitura daquela época ficou desapontada com a proibição do show pirotécnico que acontecia no mesmo local há pelo menos 5 anos.

fonte:https://rotaorganica.wordpress.com/2010/01/22/as-corujas-de-capao-da-canoa/

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Uma Igrejinha na 4º Colônia.


QUARTA COLÔNIA
Passeio
 
AVALIAÇÃO DO GUIA QUATRO RODAS
3
Muito interessante
Batizada de Quarta Colônia por ter sido o quarto núcleo de colonização italiana no Rio Grande do Sul, a região próxima a Santa Maria reúne nove municípios: Silveira Martins (pequeno polo gastronômico, leia mais em Restaurantes), Ivorá, Nova Palma, Faxinal do Soturno, S. João do Polêsine, Dona Francisca, Pinhal Grande, Agudo e Restinga Seca - as distâncias vão de 28 km (Silveira Martins) a 103 km (Pinhal Grande). Um roteiro por essas cidades pode incluir visitas a igrejas e construções típicas de madeira, compras de produtos coloniais e o belo visual da serra. A Secretaria de Turismo de Santa Maria distribui mapinhas para orientar o passeio, que também pode ser feito com guia (Eventur, 3226-2531; R$ 150 o dia todo por pessoa, para até quatro pessoas).

fonte:http://viajeaqui.abril.com.br/estabelecimentos/br-rs-santa-maria-atracao-quarta-colonia

Pelas Ruas de Rivera.Uy.2009